quinta-feira, 23 de julho de 2015

UTILIDADE PÚBLICA - 23/07/2015

Por meio de nota enviada à Folha de Camocim, o SAAE (Serviço Autônomo de Água e Esgoto) de Camocim informa que devido a um vazamento em uma adutora nas proximidades da área de captação foi preciso desligar o sistema de abastecimento. Desde a madrugada, equipes do SAAE trabalham para resolução do problema.
Informa ainda que o serviço voltará ao normal após a conclusão do reparo.

Granja realiza III Granchitão neste final de semana

A cidade de Granja se prepara para a 3ª edição do Granchitão, o festival junino fora de época que a Prefeitura promoverá dias 24, 25 e 26/7. Nesse período, muita festa e diversão para as famílias granjenses e pessoas visitantes de outros municípios.

O III Granchitão contará com cidade cenográfica em torno da Igreja Matriz, praça de alimentação com culinária típica, espaço reservado para apresentações das quadrilhas – com arquibancadas e palco para os diversos shows. A segurança do local será realizada pela Polícia Militar.

O evento terá diversas atrações musicais. Na sexta-feira (24), abrindo o chitão, Limão com Mel, Solteirões do Forró e Fabrícia. Já no sábado (25) será a vez de Eliane, Xé Pop e Forró É o Chefe. No domingo (26) encerrarão a festa o Forró Real, Taty Girl e Swing do Paredão.

117 municípios do CE estão irregulares com o Ministério da Fazenda

Até realizarem o Cadastro da Dívida Pública (CDP), municípios não podem realizar nenhuma operação de crédito com o Tesouro Nacional

Sessenta e sete porcento dos municípios cearenses estão irregulares com o Ministério da Fazenda. Isso significa que 117 cidades do Estado não realizaram Cadastro da Dívida Pública (CDP), informando ao órgão os dados das operações de crédito de 2014 e tornando transparentes as dívidas públicas. O dado é da Secretaria do Tesouro Nacional (STN), atualizado no dia 6 deste mês.
A situação deveria estar regularizada desde o dia 31 de janeiro, prazo estabelecido pela Lei de Responsabilidade Fiscal. Os municípios e estados atrasados, conforme Resolução do Senado Federal nº 43/2001, ficam impossibilitados de captar recursos por meio de empréstimos, transferências e convênios federais até efetuarem cadastro.
Fortaleza está entre as cidades do Estado que fizeram o registro. O Estado do Ceará também está com o CDP em dia. Segundo Flávia Teixeira, coordenadora do Tesouro Municipal da Capital, a realização do cadastro “não é onerosa, dificultosa ou nova, mas muito simples”.
Ela destaca a relevância do CDP para o Tesouro Nacional, que necessita das informações para acompanhar as contas públicas nacionais. “Ele precisa desses dados e sem o município informar, ele não faz isso de forma correta. Não é mera burocracia”, aponta. Além disso, ela destaca a importância do procedimento para dar transparência à população.
Paulo Rocha, auditor fiscal adjunto da Secretaria da Fazenda do Estado do Ceará (Sefaz-CE), explica que o cadastramento é antigo, mas, no ano passado, foi reformulado pela portaria nº 702, que reformula a prestação de contas, aumentando as informações que devem ser disponibilizadas à STN.
Ele indica dois possíveis motivos para o atraso, mas reconhece que nenhum dos dois se justifica totalmente: a falta de conhecimento da legislação, apesar de a regra não ser nova, e o fato de muitos municípios pequenos não possuírem dívidas nem buscarem financiamento, apesar de eles serem obrigados, também, a realizar o cadastro.
“Se o município pequeno quer fazer qualquer operação, ele tem que estar com o cadastro feito, mesmo não devendo nada”, ressalta. Rocha também evidencia a importância do registro, que, segundo ele, “não é só para mostrar ao Ministério da Fazenda, mas para a sociedade, que deve questionar as dívidas dos governos”.
Durante todo o dia de ontem, a reportagem tentou entrar em contato com várias prefeituras do Estado, mas não conseguiu resposta. O POVO falou também com a Associação dos Municípios do Estado do Ceará (Aprece), mas a entidade não estava a par da situação e não se pronunciou a respeito.

PMDB expulsa Carlos Mesquita por apoio a Camilo e quer tomar mandato

Conselho de Ética do partido decidiu, por unanimidade, expulsar o vereador. Na eleição passada, Mesquita foi detido com material de apoio a Camilo

O Conselho de Ética do PMDB do Ceará se reuniu, nesta quinta-feira, 23, e decidiu expulsar o vereador Carlos Mesquita dos quadros do partido. O vereador, que teria cometido infidelidade partidária ao apoiar Camilo Santana (PT) na eleição passada, terá seu mandato cobrado pela sigla. Mesquita ainda pode recorrer ao PMDB nacional em Brasília.

A expulsão do parlamentar foi aprovada em relatório apresentado pelo advogado Fernando Férrer. No texto, é destacado que, no dia do 1º turno da eleição de 2015, Mesquita foi detido em um veículo portando diversos materiais de Camilo Santana (PT), Ivo Gomes (Pros), Mauro Filho (Pros) “e outros, todos candidatos contrários a candidatura do PMDB”. 


Na eleição passada, o partido apoiou Eunício Oliveira (PMDB) para o governo do Estado. “O representado (Mesquita), em seu depoimento pessoal, demonstrou ardilosidade infantil, quando indagado sobre quem teria apoiado para governador, chegando ao absurdo de zombar da inteligência alheia ao perguntar do que se trata ‘apoio’”, diz o relatório.

Infieis

Mesquita tem agora até cinco dias para recorrer da decisão na direção nacional do PMDB, em Brasília. A instância superior, no entanto, tem como um de seus principais diretores o próprio Eunício. Na pauta do Conselho de Ética, estão ainda outros “infieis” na eleição passada, como o deputado federal Aníbal Gomes (PMDB). 

Mesquita reage
Em contato com o Blog do Eliomar, o vereador Carlos Mesquita lamentou a decisão do Conselho de Etica, observando que não há provas apontado para uma possível infidelidade sua na campanha de 2014.

Mesmo assim, ele se disse “aliviado” de toda essa situação, pois se define como vítima da perseguição dos “coronéis” do PMDB, no caso o senador Eunício Oliveira e o presidente interino do PMDB e vice-prefeito de Fortaleza, Gaudêncio Lucena.

Mesquita disse que vai procurar outra legenda, mas lamentou também a forma coo foi tratado. “A prefeita de Tauá, Patrícia Aguiar, deixou o PMDB e nem por isso o partido questionou ou disse que ia buscar o mandato”, desabafou. Lembrou que na campanha para deputado estadual até o número que escolhera para a disputa lhe foi tomado e dado para o hoje deputado estadual Audic Mota.

Carlos Mesquita reiterou que vai procurar outro partido. Mas não quis adiantar nomes. Definiu o PMDB sob comando de Eunício como uma ditadura e até ironizou: “O presidente do Conselho de Ética é ligado a Eunício e o relator do parecer – Fernando Férrer, é  advogado das empresas dele”.

Camilo garante promoção de 8.785 militares

Camilo garante promoção de 8.785 militaresDurante a cerimônia de promoção de 65 subtenentes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militar ao cargo de 1º tenente, o governador Camilo Santana (PT) assegurou que outros 8.785 agentes serão promovidos até o fim de 2015. Conforme Camilo, se não fosse a nova legislação, o total seria de apenas 29 servidores.
“É um dia muito simbólico. São profissionais que vêm dedicando suas vidas à Segurança Pública e aos cearenses, e não tinham a menor expectativa de quando seriam promovidos”, disse o governador, após a solenidade, realizada no Palácio da Abolição.
A turma que subiu de patente foi a primeira a ser beneficiada pela Lei de Promoções, sancionada em maio deste ano, que foi batizada de Lei Camilo. Foram promovidos ontem 48 PMs e 17 bombeiros. Todos passam agora a integrar o primeiro posto do oficialato militar.
De acordo com o secretário da Segurança Pública e Defesa Social, Delci Teixeira, os oficiais deverão ocupar cargos de fiscalização. “Nos faltam oficiais que estejam na rua, fiscalizando o trabalho dos policiais que estão nas viaturas, para saber se o serviço está sendo executado da maneira planejada”.

Quadrilha foi deixando rastro para a PF

Depois do furto milionário ao Banco Central, em Fortaleza, Antônio Jussivan Alves do Santos, o Alemão, disse que "resolveu se desligar completamente da vida do crime". Estava cansado de fugir e queria administrar seus negócios


Os passos previsíveis de alguns integrantes da quadrilha que furtou o Banco Central (BC) de Fortaleza foram fundamentais para a investigação da Polícia Federal. Após a tomada de assalto da caixa-forte do BC, em agosto de 2005, parte dos 36 envolvidos no planejamento e/ou execução do crime foi deixando rastro de como gastou os milhões recebidos do rateio da empreitada criminosa.
Feito um deles que investiu parte do quinhão na compra de uma casa com piscina, em frente ao mar, no Balneário Tupy, localizado no caro município de Itanhaém, litoral de São Paulo. Em 2011, um dos ladrões do Banco Central pagou R$ 102.220,20 pela residência de veraneio. Confiscado pela justiça, o imóvel foi a leilão sendo arrematado por R$ 194.220,20.
No estado de São Paulo, a equipe do delegado federal Antônio Celso dos Santos, 56, conseguiu por a mão em pelo menos 74 bens que foram comprados com os maços de R$ 50,00 do BC do Ceará.
No município paulista de Bertioga, na Riviera de São Lourenço, outra casa com piscina foi comprada por R$ 366.000,00. Negócio feito pouco tempo depois do mega furto em Fortaleza. Recuperada durante a investigação policial, a residência de 427, 33 metros quadrados foi leiloada por R$ 494.500,00.
Alguns dos integrantes da quadrilha de Antônio Jussivan Alves do Santos, o Alemão, um dos líderes do furto milionário ao BC foram pouco estratégicos no “investimento”. Exemplo assim vem de Boa Viagem, no Ceará. Os bandidos originários de lá, que participaram diretamente das escavações do túnel que chegou à caixa-forte do banco, acabaram comprando bens na própria cidade natal. Movimento que deu na vista e despertou o olho grande.
Em Boa Viagem, a PF recuperou pelo menos sete bens comprados em transações de lavagem do dinheiro furtado. Entre eles, a fazenda Haras Viração Agropecuária com 290 hectares e benfeitorias, na zona rural do município do Sertão Central cearense. Levada a leilão, em 2012, a propriedade foi vendida por R$ 434.880,00. Semelhante foi o caso da fazenda Cabeça de Vaca, no distrito de Bela Aliança, arrematada por R$ 407.400,00.
Os bens de Alemão
Em um interrogatório que Alemão prestou em 2008 ao delegado Antônio Celso, o cearense confessou “que utilizou sua cota-parte para comprar vários bens em Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Brasília e em Goiás”.
Uma das aquisições foi uma casa às margens da represa de Rio Manso, no município de Nobres, no Mato Grosso. Na mesma localidade, adquiriu um sítio.
No Distrito Federal comprou outra casa, na Quadra Norte, no condomínio Riacho Fundo II. Em Goiás, investiu numa fazenda no município de Cocalzinho onde criava carneiros.
Boa parte dos bens de Alemão foi posta nos nomes dos laranjas Antônio Rivaldo de Oliveira Silva e de José Silva Ferreira. Os dois testas de ferro compraram três postos de gasolina em Nova Andradina, no Mato Grosso do Sul, por R$ 1.500.000,00.
Rivaldo e Ferreira administravam o patrimônio de Alemão, tinham direito a um percentual e eram obrigados a prestar conta com o patrão de três em três meses.
No mesmo depoimento, em que Alemão revelou a existência de parte dos bens comprados com o dinheiro do BC, ele afirmou que estava “cansado de permanecer em fuga”. E que, depois do furto milionário no Ceará, “resolveu se desligar completamente da vida do crime”. Alemão, segundo o delegado Antônio Celso, teria recebido mais de R$ 10 milhões. No interrogatório, garantiu que foram R$ 5 milhões. 

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Cagece. Água da torneira também é para beber

Saúde: Distribuída em eventos estratégicos, a água envasilhada é a mesma água tratada que chega até as residências

Você já bebeu água da torneira? De acordo com a Companhia de Água e Esgoto do Ceará (Cagece), a água utilizada nas tarefas domésticas e higiene pessoal é própria para beber, pelo menos até o momento em que ela chega na residência do usuário. Para desmistificar a cultura de que o produto é impróprio para ingestão, a Companhia criou a Água de Beber, que envasilha e distribui a água da Cagece. 

Os copinhos com a água são distribuídos prioritariamente em eventos do Governo. De acordo com a Cagece, outros interessados podem solicitar o produto. O pedido passa por avaliação e a resposta depende da viabilidade (tipo de evento, quantidade de pessoas e etc.).
O projeto existe há 10 anos, de acordo com a Cagece, e nos últimos dois anos distribuiu 200 mil unidades do produto. A divulgação visa também aproximar a Companhia dos seus clientes.
Atualmente, os copos de água são envazados na Estação de Tratamento de Água Jaburu, que fica em Tianguá, na Serra da Ibiapaba. A intenção da Cagece é ampliar o serviço de envazamento da água para Fortaleza, mas não há prazo definido para que isso aconteça. A Cagece afirma ainda que há pretensão de que a Água de Beber seja distribuída gratuitamente nas lojas da Companhia quando o serviço de envazamento for ampliado.
Segundo Neuma Buarque, superintendente de Controle e Qualidade da Cagece, há uma avaliação rigorosa no tratamento e na distribuição da água fornecida. Em Fortaleza, são realizadas cerca de 50 coletas diárias de amostras, gerando aproximadamente 7 mil análises por mês. “Quando oferecemos os copinhos do projeto ‘Água de Beber’, é uma maneira de reforçar a qualidade da nossa água”, destaca.
Governo compra água mineral
Apesar da qualidade garantida pela empresa, o Governo do Estado – controlador da Cagece – compra água mineral. Segundo a Casa Civil, foram comprados neste ano 79 mil garrafões de 20 litros, a R$ 4,25 cada um, somando R$ 335 mil. No PortalCompras.CE, consta ata de registro de preços para a compra de 555,4 mil unidades – o que somaria R$ 2,35 milhões – com período de vigência de 23/12/2014 a 22/12/2015. 

Questionada sobre o motivo da compra de água mineral, mesmo diante da qualidade da água da Cagece, a Casa Civil respondeu em nota: “que o projeto “Água de Beber” já disponibiliza água para eventos do Governo, consistindo uma ação de marketing. A ampliação desse projeto para atendimento de repartições públicas do Governo do Estado é um projeto de iniciativa exclusiva da Cagece com ações de longo prazo. A ampliação tem de ser um processo gradativo que demandaria adaptação da estrutura”.
PROCEDIMENTO
Limpeza da água
Após a captação dos açudes e chegada da água na estação, a primeira etapa para tornar a água própria para consumo é a desestabilização de impurezas. Depois são realizadas análises para verificar quais são os contaminantes. Para remover os agentes contaminates, são adicionados produtos químicos coagulantes, que depois são removidos na filtração da água.
A segunda etapa do processo de limpeza da água é a desinfecção com cloro. Depois das últimas análises dos técnicos, é adicionado cloro gasoso para proteger a água de contaminações no percurso até chegar a sua residência.
Consumidores experimentam
Na Praça do Ferreira, O POVO ofereceu algumas unidades da Água de Beber. A operadora de caixa Elidiana Januário, 28, considerou o gosto diferente do que está acostumada. “Ela é até boa, dá para saciar a sede, mas a impressão que tenho é que o gosto é ‘pesado’. É como se fosse um gosto forte de cloro”, destacou.
Já para o estudante José Leandro Barroso, 24, o gosto é ótimo. “O gosto da água é diferente sim, mas não chega a ser ruim, pelo contrário. Eu achei o gosto ótimo, tão bom quanto a água mineral”.
Vanusa Batista, auxiliar de serviços gerais, 41, explicou que sentiu a diferença e também destacou o gosto. “A água é boa. No começo não senti muita diferença, mas depois do primeiro gole a gente sente que o gosto é um pouco estranho”.
Francisco da Silva, desempregado, 24, não sentiu diferença entre a água da Cagece e a água que costuma beber, que é mineral. “É boa. Inclusive é bem parecida com a que eu bebo”. (IC)