sexta-feira, 24 de março de 2017

‘’Forró de Camilo’’ surpreende com 2,4 milhões de acesso no Facebook

Resultado de imagem para Governador Camilo dançandoO governador Camilo Santana (PT) não esperava tanto sucesso, mas conseguiu um barulho extraordinário nas redes sociais com um vídeo de sua dança de forró com a primeira dama Onélia Santana. Somente no facebook do governador cearense, até a manhã desta sexta-feira,  o número de acesso superava os 2,4 milhões de cliques.
O forró de Camilo e Onélia foi  filmado, no último dia 18, durante a  55ª Feira de Artesanato do Ceará (Feirart) promovida pelo Governo do Ceará, através da Secretaria de Trabalho e Desenvolvimento Social, na Praça Luíza Távora, em Fortaleza. Poucos minutos depois, a imagem da dança estava nas redes sociais e, pelo facebook, Camilo viu a explosão de acessos.
A Feirart, realizada em comemoração ao Dia do Artesão, celebrado no dia 19 de março,  reuniu cerca de 200 artesãos expositores representantes de entidades artesanais e grupos produtivos de 86 municípios. Ao participar do evento e animado com o forró, Camilo não titubeou e, ao lado da primeira dama, se divertiu ao som da música mais popular do Nordeste.
Vinte e quatro horas após a postagem nas redes sociais do vídeo com a dança, Camilo foi surpreendido, na visita à cidades do Interior do Ceará para lançar ações do Projeto São José, com o carinho dos cearenses que comentavam sobre o forró. Ao longo dos seus três primeiros anos de mandato, Camilo Santana tem conquistado popularidade com o gesto simples de conversar com o cidadão comum e dialogar com a população. 
Assista o video : https://youtu.be/NF2fO-HeZ0U

Detran interdita CE-065 em Palmácia devido riscos de novos deslizamentos

Resultado de imagem para Palmácia devido riscos de novosO Departamento Estadual de Rodovias (DER), órgão vinculado à Secretaria da Infraestrutura do Estado (SEINFRA), mantêm uma equipe na rodovia CE-065, entre a localidade de Ladeira Grande e Palmácia, trabalhando na remoção das pedras e terra que ocuparam a pista depois do deslizamento por conta das últimas chuvas que atingiram a região do Maciço de Baturité. O DETRAN, órgão responsável pelo trânsito rodoviário, juntamente com o DER estão fazendo a interdição da via.
O DER está mobilizando equipes durante todo o período chuvoso para o trecho, devido o risco de novos deslizamento. Para garantir a segurança no trecho, o DER orienta que os usuários evitem trafegar pelo local. Enquanto os trabalhos na CE-065 não terminam, o condutor pode optar por duas outras estradas: a CE-060 (Indo por Baturité e Guaramiranga), ou BR-020 (Campos Belos, subindo a ladeira da Pendanga/Pernambuquinho).

Previsão é de chuva no Ceará durante o fim de semana

Imagem do satélite GOES-13A previsão é de chuva para o decorrer desta sexta-feira, 24. De acordo com a Fundação Cearense de Meteorologia e Recursos Hídricos (Funceme), o dia é de céu nublado com chuvas, no centro-oeste do Estado, e nebulosidade variável no sul do Ceará.

Da manhã da última quinta-feira, 23, até a manhã desta sexta-feira, 24, choveu em mais de 110 municípios cearenses. A maior precipitação foi em São Gonçalo do Amarante, com 98 mm. 

O órgão também prevê chuva para este sábado, 25, e o próximo domingo, 26. No sábado, a chuva deve ocorrer ao longo do dia, com atividade similar a desta sexta. Já o domingo deve ser de nebulosidade variável com chuva em todas as regiões cearenses.

Entenda

A Funceme publicou imagem do satélite GOES-13 que mostra que há nuvens em todo o Ceará. A imagem foi feita às 8h30min desta sexta. O principal sistema gerador de chuvas, conhecido como Zona de Convergência Intertropical (ZCIT), está posicionado perto da costa norte do Nordeste. 

Além disso, um sistema de baixa pressão atmosférica e circulação horária a aproximadamente 12 km de altura, chamado Cavado de Altos Níveis (CAN), também pode ser observado no leste do Nordeste brasileiro.

AL paga 65 aposentadorias a ex-deputados; valor médio é de R$ 15,5 mil

Aposentadorias para deputados precisam de aprovação do TCE (Foto: Divulgação)Assembleia Legislativa do Ceará enviou nesta semana ao Tribunal de Contas do Estado (TCE) atos pelas aposentadorias de dois ex-deputados da Casa com pensão média de cerca de R$ 23,9 mil. Além dos novos pedidos, a Casa já paga hoje pelo menos 65 benefícios para ex-deputados ou seus familiares.
Segundo a assessoria de imprensa da Assembleia, valor médio dos benefícios é de R$ 15.565,67. O Legislativo explica que os valores variam de acordo com o número de mandatos ocupados por cada deputado que reivindica os proventos.
Edição desta terça-feira do Diário Oficial do Estado trouxe os atos de aposentadoria da hoje deputada federal Gorete Pereira (PR) e do ex-deputado Vasques Landim. A primeira receberá benefício de R$ 24.126,00. Já o ex-parlamentar terá aposentadoria de R$ 23.700,71. Até a aprovação dos atos pelo TCE, eles receberão 80% do valor.
O valor de Gorete, por exemplo, diz respeito ao intervalo entre 1995-2002, período em que ela atuou como deputada estadual e contribuiu com o Sistema de Previdência dos Deputados e ex-Deputados Estaduais do Ceará.

quinta-feira, 23 de março de 2017

CAMOCIM: TRECHO CRÍTICO ENGENHEIRO PRIVAT GANHA SENTIDO ÚNICO

Teve início nesta quinta-feira (23) a mudança, para sentido único, a Rua Engenheiro Privat, entre a esquina do Via Pastelli e a sede da Guarda Municipal. 

A medida foi necessária devido ao fluxo cada vez maior de veículos na via, principalmente nos finais de semana. 

Durante o período de orientação, Agentes de Trânsito e Guardas Patrimoniais estarão presentes nos cruzamentos do trecho de 400 metros, orientando os usuários. 

Além disso, foi colocada uma farta sinalização, vertical e horizontal.      


FONTE: Blog Camocim Online

Custo da imprudência: trânsito deixa 45 mil mortos e 600 mil incapacitados

Resultado de imagem para imprudência no transitoO trânsito brasileiro continua entre um dos mais violentos do mundo, deixa milhares de vítimas fatais e outras milhares de pessoas com graves sequelas que as impedem de levar a vida com normalidade.  Os números dão a real dimensão dessa tragédia: 45 mil mortes e 600 mil incapacitados a cada ano, como revela, em sua coluna Política & Economia, o jornalista Carlos Alberto Alencar.
Tragédia do trânsito
A violência no trânsito brasileiro provoca cerca de 45 mil mortes por ano e incapacita outros 600 mil cidadãos, o que representa ao País impacto direto nas finanças públicas e, consequentemente, na previdência social – principalmente nesse momento em que a reforma do sistema está em discussão diante do crescente déficit e risco de não ter caixa para pagar aposentadorias e pensões no futuro.
Borrachudo em queda
O número de cheques devolvidos (segunda devolução por falta de fundos) como proporção do total de cheques movimentados atingiu 2,06% em fevereiro, registrando diminuição em relação a fevereiro de 2016, quando alcançou 2,22%. O percentual de cheques devolvidos sobre movimentados também recuou na comparação mensal (em janeiro o nível foi de 2,07%), sendo o resultado obtido pelo recuo de 19,1% na dos cheques devolvidos e diminuição de 18,5% para os cheques movimentados.
Banco dos réus
A 2ª Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Ceará decidiu manter o julgamento por júri popular Francisco Marcos Lima Barros, acusado de assassinar o ativista ambiental e líder comunitário José Maria Filho (Zé Maria de Tomé). De acordo com o Ministério Público do Ceará, em 21 de abril de 2010, Zé Maria foi assassinado com 25 tiros de arma de fogo. O crime ocorreu, na localidade Sítio Tomé, Limoeiro do Norte, com grande repercussão no Brasil. O suposto mandante teria sido o empresário João Teixeira Júnior, com o apoio de José Aldair e Francisco Marcos, que tiveram a absolvição sumária negada pelo Tribunal.
Mártir da causa ambiental
O líder comunitário era envolvido nas causas sociais de sua comunidade e reivindicava melhorias de condições de vida para as famílias de pequenos agricultores na Chapada do Apodi. Entre as várias reivindicações, destaca-se o combate ao uso abusivo de agrotóxicos, principalmente por meio de pulverização aérea, denúncia de contaminação da água com agrotóxicos e ocupação irregular de grandes empresas em áreas públicas. Por causa das reivindicações sociais, teria feito vários desafetos, entre os quais João Teixeira Júnior, proprietário da empresa Frutacor.
Tarda, mas não falta
Uma mulher conseguiu na Justiça o direito de ser indenizada em R$ 10 mil a título de danos morais por não conseguir atendimento na rede credenciada ao Hapvida. A decisão, proferida nessa quarta-feira (22), é da 3ª Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça do Ceará (TJCE). Segundo os autos, a psicopedagoga, com fortes dores no peito e dificuldade de respiração, procurou quatro hospitais credenciados pelo plano de saúde, conforme o manual da operadora. Em todos, no entanto, teve o atendimento negado, sob alegação de que a empresa não efetuou o pagamento aos m&ea cute;dicos.
Pegou pesado
O procurador-geral da República, Rodrigo Janot, rebateu forte as acusações do ministro Gilmar Mendes de que a PGR a Procuradoria teria vazado informações sigilosas da Lava Jato para jornalistas. Sem citar o ministro, Janot disse que procura se distanciar “dos banquetes palacianos, fugindo dos círculos de comensais que cortejam desavergonhadamente o poder político.
Repudiamos a relação promíscua com a imprensa seja nacional, seja internacional”, afirmou. Na semana passada, Gilmar Mendes reuniu a nata do poder central, num jantar, em sua casa em Brasília.

Diz-me com quem andas…
Uma plateia nada recomendável “prestigiou” a posso do novo ministro do STF, Alexandre de Moraes.
Ao menos dez citados pelos delatores da Odebrecht participaram da cerimônia: os governadores Luiz Fernando Pezão e Geraldo Alckmin; os senadores tucanos José Serra e Aécio Neves, além do presidente do Senado, Eunício Oliveira; o presidente da Câmara, Rodrigo Maia, e os ministros Bruno Araújo (Cidades), Aloysio Nunes (Relações Exteriores) e Eliseu Padilha (Casa Civil).
O ex-presidente José Sarney, outro alvo da Lava Jato, também foi homenagear o novo ministro do Supremo.

Vai dar samba
Para Rodrigo Maia, a decisão de Michel Temer de retirar os servidores estaduais e municipais da PEC que altera a Previdência, fortalece a reforma. Ele argumenta que isso deve facilitar a aprovação da proposta na Câmara. Há quem pense diferente. Por exemplo, o presidente da bancada evangélica, João Campos (PRB-GO) considera que a decisão vai transformar a Previdência no “samba do crioulo doido”. Já o líder da bancada da bala, João Campos, aliado do governo, argumenta que o resultado da medida será a criação de “múltiplos regimes” de servidores públicos.
Demorou demais
Em reunião com o presidente Temer, senadores da base aliada avaliaram que o governo criou um desgaste desnecessário ao ter demorado para retirar os servidores estaduais e municipais da reforma previdenciária.
No encontro promovido no Palácio do Planalto, a crítica foi de que o governo “perdeu o timing” e que não deveria tê-los incluídos desde o início ou deveria tê-los retirado logo após o envio da proposta pela equipe econômica, em dezembro.

Homem de fé
“Eu estou absolutamente convencido da inocência do ex-presidente. Não há nenhuma prova contra ele.” – Juarez Cirino dos Santos, advogado que integrava a banca de defesa do ex-presidente Lula, que renunciou à defesa do petista. Cirino protagonizou alguns dos principais embates com o juiz Sergio Moro durante audiências na Justiça Federal do Paraná, chegando a afirmar que o magistrado se portava como acusador. Disse que vai sentir saudade dos enfrentamentos.
Antagonismo
“O blogueiro petista Eduardo Guimarães foi informado de que a Lava Jato preparava uma operação contra Lula. Imediatamente, ele avisou o assessor de imprensa do Instituto Lula, José Chrispiniano, pedindo-lhe para repassar a informação ao próprio Lula. O vazamento só foi publicado em seu blog bem mais tarde. Enquanto isso, os investigados ganharam tempo para destruir eventuais provas comprometedoras. O que falta para mandar prender toda essa gente?” – revela e indaga o Antagonista.
Dinheiro ouvindo a conversa
Deputado Júlio Cesar Filho (PDT) denuncia os engarrafamentos constantes do trânsito próximo a Ceasa, em consequência da paralisação das obras da ampliação e construção dos viadutos do Anel Viário, que estão paralisadas. De acordo com Júlio Cesar, parte da verba (R$ 48 milhões) para a conclusão da obra já está com o Governo do Estado. Falta apenas o fechamento da licitação para que a empresa vencedora recomece o trabalho.

Câmara aprova projeto que libera terceirização de todas as atividades das empresas

Resultado de imagem para Câmara aprova projeto que libera terceirizaçãoO projeto foi aprovado por 231 a favor, 188 contra e 8 abstenções

Mesmo sob forte protesto da oposição, o plenário da Câmara dos Deputados aprovou nesta quarta-feira (22) o Projeto de Lei (PL) 4.302/1998, de autoria do Executivo, que libera a terceirização para todas as atividades das empresas. O projeto foi aprovado por 231 a favor, 188 contra e 8 abstenções.
Ainda faltam votar alguns destaques. Após a votação dos destaques, que deve ocorrer ainda hoje, o projeto, que já havia sido aprovado pelo Senado, seguirá para sanção presidencial.
Desde o início da sessão, a oposição obstruía os trabalhos. A obstrução só foi retirada após acordo para que fosse feita a votação nominal do projeto e simbólica dos destaques. O acordo foi costurado entre o líder do governo, Aguinaldo Ribeiro (PP-PB), e parte da oposição.
Pelo projeto, as empresas poderão terceirizar também a chamada atividade-fim, aquela para a qual a empresa foi criada. A medida prevê que a contratação terceirizada possa ocorrer sem restrições, inclusive na administração pública.
Atualmente a legislação veda a terceirização da atividade-fim e prevê que a prática possa ser adotada em serviços que se enquadrarem como atividade-meio, ou seja, aquelas funções que não estão diretamente ligadas ao objetivo principal da empresa.
Trabalho temporário
O projeto que foi aprovado pelo plenário da Câmara também modifica o tempo permitido para a contratação em regime temporário dos atuais três meses para 180 dias, “consecutivos ou não, autorizada a prorrogação por até 90 dias, consecutivos ou não, quando comprovada a manutenção das condições que o ensejaram”, diz o projeto.
Decorrido esse prazo, o trabalhador só poderá ser contratado novamente pela mesma empresa após 90 dias do término do contrato anterior. O texto estabelece a chamada responsabilidade subsidiária da empresa contratante em relação aos funcionários terceirizados.
A medida faz com que a empresa contratante seja “subsidiariamente responsável pelas obrigações trabalhistas referentes ao período em que ocorrer o trabalho temporário e em relação ao recolhimento das contribuições previdenciárias”, diz o texto.
Debate
A discussão do projeto foi iniciada na manhã desta quarta-feira, a discussão da matéria foi iniciada com resistência da oposição. O deputado Alessandro Molon (Rede-RJ) criticou o projeto e disse que a iniciativa vai fazer com que a maioria das empresas troque os contratos permanentes por temporários. “Essa proposta tem por objetivo uma contratação mais barata, precarizando e negando direitos. O próximo passo é obrigar que os trabalhadores se transformem em pessoas jurídicas, abrindo mão de férias, licença-maternidade e outros direitos”, disse.
No início da tarde, o relator Laercio Oliveira (SD-SE) apresentou o seu parecer e rebateu as críticas. De acordo com o deputado, o projeto não retira direitos. “Faço um desafio: apontem dentro do texto um item sequer que retire direitos dos trabalhadores. Não existe”, disse.
O líder do governo, Aguinaldo Ribeiro, defendeu o projeto com o argumento de que a medida vai ajudar a aquecer a economia, gerando novos empregos. “O Brasil mudou, mas ainda temos uma legislação arcaica. Queremos avançar em uma relação que não tira emprego de ninguém, que não vai enfraquecer sindicatos. Eles também vão se modernizar”, disse.
Projeto de 1998
Originalmente, o projeto foi encaminhado à Câmara em 1998 pelo ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e aprovado no Senado em 2002. Deputados contrários ao projeto criticaram a votação da proposta 15 anos depois e chegaram a defender a apreciação de outro texto, em tramitação no Senado, que trata do tema.
“Já votamos essa matéria aqui e aprovamos uma matéria que foi para o Senado e que é muito diferente desse projeto que está na pauta aqui hoje. Essa matéria não passou pelo debate dessa legislatura e seguramente representa um duro ataque aos direitos dos trabalhadores”, disse a deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ).